Globo fará proposta para Maisa e Larissa Manoela

Contrato de ambas no SBT termina em 2019 e emissora está de olho
O contrato de Maisa Silva e Larissa Manoela com o SBT se encerra em 2019 e a Globo tem interesse em contratar as jovens atrizes. Segundo informações do colunista Ricardo Feltrin, do 'Uol', emissário da Globo já mandaram recado aos pais das meninas, pedindo que não renovassem com o canal de Silvio Santos antes conversarem com eles.

De acordo com a publicação, a ideia da emissora é Maisa e Larissa no elenco de 'Malhação' ou de outras novelas da casa, já que elas são vistas como boas atrizes e com idade precoce - Maisa tem 16 e Larissa 17.

'Fui abusada em inúmeros testes para comerciais', revela Samara Felippo

Atriz contou que sofreu assédio quando tinha apenas 14 anos

A atriz Samara Felippo mostrou toda sua indignação nas redes sociais ao desabafar sobre a postura de Danilo Gentilli. Segundo a artista, ela assistiu a um vídeo de um humorista em que ele afirma que 'uma mulher deveria ser estuprada'. No desabafo, Samara revelou que sofreu assédio diversas vezes em sua carreira, até mesmo quando ainda era menor de idade.






"Vendo isso me deu uma dor profunda. Lembrei de quando era uma menina de 14 anos, sem qualquer preparo para a maldade do mundo. Fui abusada em inúmeros 'testes' para comerciais. Sofria assédio e não percebia. Diretores, agentes. Lembro em uma seleção de catálogo para biquínis, o próprio diretor passava óleo nas meninas. Hoje lembro com asco, mas deixei que isso. Eu tinha 13 anos. Nesse vídeo, ele diz que uma mulher merece ser estuprada, e uma platéia inteira, e entre ela muitas mulheres aplaudem. Me causou um horror físico e mental. É normal? É stand up? É só uma brincadeira? Você aplaudiria se sua namorada, filha, mãe, se você fosse ou já tivesse sido estuprada? Porque isso é real, a cada 11 minutos uma mulher é violentada. Estão ali aplaudindo essa 'piada'?", disse.



"Não acreditam em cultura do estupro mas querem castração química. Fico me perguntando até onde vai a cegueira da humanidade. Preto ainda é piada? Gay ainda é piada? Porque uma mulher ser estuprada parece ser!!! Onde vocês estão mulheres que não enxergam isso? Onde vocês estão mulheres lindas, fortes, parceiras, poderosas...onde? Cade vcs? Isso precisa acabar!! Ensinem seus parceiros a respeitar uma mulher. Ensine seus filhos. Não aplaudam!!! Não alimentem essa cultura. Tenho filhas, você tem mãe, irmã, filhas, você pode ser essa mulher. Maria do Rosário todo meu apoio. Sigamos fortes. Nenhuma mulher merece ser estuprada", desabafou.
Redação iBahia

Salvador: Dia Mundial dos Animais será comemorado por Ana Rita Tavares

Amigos e Amigas, gostaria de convidá-los para uma Sessão Especial em Defesa dos Direitos dos Animais, no Plenário da Câmara Municipal de Salvador, dia 04 de outubro, às 19 h.

Conto com a presença de vocês!

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto

Saiba o que eleitores e candidatos podem ou não fazer na última semana de campanha

Boca de urna e selfie na urna são punidas com detenção e multa

Resultado de imagem para politica


Mais curta e com recursos limitados, a campanha eleitoral entra na reta final nesta segunda-feira. Faltam apenas sete dias para o primeiro turno de votação, em 7 de abril, quando 147,3 milhões de eleitores poderão depositar os votos nas urnas eletrônicas. A proximidade do pleito acende o alerta para o que a lei eleitoral permite a votantes e candidatos fazer. Será punido com detenção e multa, por exemplo, quem fizer propaganda de boca de urna, tirar selfie na cabine de votação ou participar de mobilização coletiva de campanha no dia da votação.



O horário eleitoral gratuito na televisão e no rádio termina na quinta-feira, mas os candidatos podem continuar em campanha nas redes sociais e nas ruas até a véspera do pleito. As pesquisas de intenção de voto que forem realizadas antes do dia de votação podem ser divulgadas em qualquer hora, inclusive do dia 7 de outubro. As sondagens feitas no próprio domingo só podem vir a público ao fim da votação estimada por elas. No sábado, o Jornal Nacional, da "TV Globo", revela pesquisas das capitais com os maiores colégios eleitorais.



No dia da eleição, a lei eleitoral só permite manifestação individual e silenciosa de preferência do eleitor com bandeiras, broches, dísticos e adesivos. Qualquer mobilização coletiva é vedada, assim como o uso de veículos para divulgar jingles, nesta data. Os comícios de encerramento das campanhas, excepcionalmente, podem correr até 2h da madrugada. Os "showmícios", no entanto, são proibidos. Saiba o que os eleitores e candidatos podem ou não fazer durante a campanha eleitoral:



NO DIA DA VOTAÇÃO


— É crime arregimentar eleitores ou fazer propaganda de boca de urna no dia da votação. A legislação prevê detenção de seis meses a um ano, com alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período, e multa a infratores de 5 mil a 15 mil UFIR (indexador para atualização do saldo devedor).



— É crime usar alto-falantes e amplificadores de som ou promover comício e carreata no dia da eleição.



— É crime divulgar qualquer espécie de propaganda de partidos políticos e de seus candidatos na data da votação.



— É proibido qualquer ato que caracterize manifestação coletiva, com ou sem utilização de veículos, como aglomeração de pessoas portando vestuário padronizado.



— É proibido tirar selfie na urna eletrônica. A lei eleitoral proíbe o porte de celular ou máquinas fotográficas na cabine de votação, assim como equipamentos de radiocomunicação, filmadoras ou qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo do voto. Apesar de ser considerado um crime de menor gravidade, a desobediência dessa ordem tem pena de quinze dias a seis meses de detenção, além de multa com valor a ser decidido em juízo.



— A legislação permite a manifestação individual e silenciosa de preferência do eleitor por partido político, coligação ou candidato, revelada exclusivamente pelo uso de bandeiras, broches, dísticos e adesivos.



— O uso de vestuário ou objeto que contenha propaganda de partido político, coligação ou candidato é proibido a servidores da Justiça Eleitoral, a mesários e a escrutinadores nas seções eleitorais e nas juntas de apuração de votos.



— Durante os trabalhos de votação, os fiscais partidários somente podem usar crachás em que constem o nome e a sigla de sua legenda ou sua coligação. É proibida a padronização de vestuário desses fiscais.



— É proibido comprar ou vender voto. O candidato pode ser punido com quatro anos de reclusão, pagamento de cinco a quinze dias-multa (valor unitário variável a ser pago pelo réu a cada dia de multa imposta), cassação do registro da candidatura, multa e inelegibilidade por oito anos. O eleitor que vender o voto também pode ser condenado a quatro anos de reclusão e a pagar de cinco a quinze dias-multa.



PESQUISAS ELEITORAIS


— As pesquisas realizadas em data anterior ao dia das eleições podem ser divulgadas a qualquer momento, inclusive na data do pleito.



— A divulgação de levantamento de intenção de voto realizada no dia das eleições só pode ocorrer a partir de 17h do horário local. Esta regra vale para sondagens dos cargos de governador, senador e deputados federal, estadual e distrital.



— As pesquisas de intenção de voto para presidente realizadas no dia da eleição só podem ser divulgadas após o horário previsto para encerramento da votação em todo o território nacional.



— A legislação eleitoral prevê que a divulgação de pesquisas inclua os dados: período de realização da coleta, margem de erro, nível de confiança, número de entrevistas, nome da entidade ou empresa realizadora, número de registro do levantamento e, se for o caso, nome de quem o contratou.



CAMPANHA NA RUA


— Distribuir folhetos, adesivos e folders impressos. Bonecos e outdoors eletrônicos estão vetados.



— Fixar propaganda eleitoral no para-brisa traseiro, em adesivo microperfurado, e em outras pontos do veículo, desde que não ultrapassem meio metro quadrado.



— Utilizar bandeiras de candidatos ou partidos em vias públicas.



— Usar alto-falantes, amplificadores, carros de som e minitrios entre 8h e 22h, em carreatas, caminhadas e passeatas ou durante reuniões e comícios, desde que estejam a, no mínimo, 200 metros de distância de repartições públicas, hospitais, escolas, bibliotecas, igrejas e teatros.



— Fica proibido o uso de qualquer tipo de veículo para divulgar jingles no dia das eleições.



— Os comícios devem ser feitos entre 8h e 24h. Os candidatos podem usar trios elétricos em locais fixos, desde que toquem apenas o jingle da campanha e reproduzam discursos políticos. Comícios de encerramento de campanhas podem ir até as 2h da madrugada.



— Os candidatos podem fixar propagandas em papel ou adesivo de até meio metro quadrado em bens particulares, como casa, carros e bicicletas, desde que seja autorizado pelo proprietário de forma gratuita.



REDES SOCIAIS, JORNAIS E REVISTAS


— Podem pagar por até 10 anúncios em jornais ou revistas, em tamanhos pré-definidos e em datas diversas. O candidato deve informar na própria publicidade o valor pago ao veículo.



— Os candidatos estão liberados para arrecadar dinheiro para a campanha por meio de financiamento coletivo.



— As campanhas podem fazer propaganda na internet de forma gratuita no site oficial do candidato, do partido ou da coligação hospedados no Brasil ou em blogs e redes sociais.



— Nas redes sociais, os candidatos podem promover o impulsionamento de conteúdo, desde que identificado e contratado exclusivamente por partidos políticos, coligações e candidatos e seus representantes. Os posts patrocinados devem conter o CNPJ ou CPF do responsável e a expressão “Propaganda Eleitoral”.



— Os candidatos podem Fazer propaganda em blogs, redes sociais e sites de mensagens instantâneas com conteúdo produzido ou editado por candidato, partido ou coligação;



— Usar ferramentas para garantir posições de destaque nos sites de busca.



— Enviar mensagens eletrônicas, desde que disponibilizem a opção para descadastramento, que deverá ser feito em até 48 horas.



PROPAGANDA NA TV


— As campanhas não poderão usar efeitos especiais, montagens, trucagens, computação gráfica, edições e desenhos animados no horário eleitoral gratuito e inserções durante o dia.



— Os candidatos podem apresentar legendas que façam referências aos candidatos a presidente, governador ou senador na propaganda de outros candidatos do mesmo partido ou coligação, exibir cartazes ou fotografias dos candidatos a presidente, governador ou senador.



— É permitido apresentar depoimentos de candidatos a outros cargos no horário da propaganda do mesmo partido ou coligação.



— É permitido exibir entrevistas com o candidato para que ele apresente realizações do governo, aponte falhas nos serviços públicos ou fale sobre alguns atos parlamentares ou debates legislativos.



SHOWS ARTÍSTICOS


— Os "showmícios" estão vetados nesta eleição. O candidato que descumprir a norma poderá ter o registro ou o diploma cassados pela Justiça Eleitoral.

Ex de Anitta curte boate com Adriano Imperador em Jurerê

  • Desde que foi anunciado o fim do casamento com Anitta, Thiago já apareceu em vários eventos ao lado de Adriano


    Adriano Imperador e Thiago Magalhães não se desgrudam. O ex-marido de Anitta viajou com o jogador e um grupo de amigos para Jurerê Internacional, em Florianópolis. De uma badalada boate da região, Adriano postou uma foto, sorrindo ao lado de Thiago, na madrugada deste domingo. "Tudo dando certo, graças a Deus", legendou Imperador.





    Um outro amigo postou uma foto do mesmo lugar, com o mesmo grupo. Só que na imagem todos aparecem fazendo sinal de silêncio. "Só vibrando amor e paz", escreveu Bernardo Peret ao postar o clique.


    Desde que foi anunciado o fim do casamento com Anitta, no dia 8 de setembro, Thiago Magalhães já apareceu em vários eventos ao lado de Adriano. Um deles, por exemplo, foi na casa onde o empresário morava com a cantora, no aniversário de 22 anos de sua irmã, Duda Varella.

Top Baladas