Clínica clandestina: mulher morre após fazer preenchimento de bumbum

Aplicação de preenchimento foi feita numa cobertura, segundo família

Uma mulher morreu após passar por um procedimento estético na Zona Oeste do Rio. Identificada como Lilian Calixto, a bancária saiu de Cuiabá, no Mato Grosso, para um procedimento estético nos glúteos. Após o procedimento, de acordo com a família da vítima, a mulher passou mal e precisou ser atendida em um hospital particular na Barra da Tijuca, onde, ainda conforme informações de parentes, morreu.
Foto: Reprodução

De acordo com o enteado da paciente, ela não foi atendida em uma clínica para realizar o procedimento, mas em uma cobertura na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Lá, ela foi recebida pelo médico. A consulta aconteceu por volta das 22h do último sábado.

— Ela conheceu o médico por indicação. As amigas fizeram, gostaram e indicaram. Ele é um médico muito famoso, o procedimento foi feito no apartamento dele na Barra e teve uma complicação — relatou o enteado de Lilian Alessandro Jambert.

Os parentes afirmaram que vão registrar o caso na delegacia. O corpo da mulher será levado para Cuiabá, onde a bancária morava.

No procedimento, a bancária teria feito uso de PMMA. É uma sigla para polimetilmetacrilato, material parecido com plástico, composto por microesferas e utilizado para fazer preenchimentos corporais e faciais. O produto é aprovado pelo Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas o uso da substância é indicado para situações pontuais e em pequenas quantidades.

O PMMA foi uma das substâncias utilizadas para fazer preenchimentos nas coxas da modelo Andressa Urach, internada em 2014 após uma infecção causada pelo procedimento estético.


Agência O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Top Baladas