quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Médicos tiram dúvidas sobre produtos para crescimento de cílios e sobrancelhas

Consulta a profissional antes do uso é fundamental para evitar reações adversas
Sobrancelha preenchida e cílios mais longos em um passe de mágica. Com essa promessa, produtos que garantem acelerar o crescimento dos fios têm inundado o mercado nos últimos tempos. Mas será que eles são realmente seguros? De acordo com os dermatologistas, sim, mas é preciso atenção do consumidor antes de começar a usar remédios do tipo.


Foto: Reprodução


— O Latisse (colírio usado no alongamento dos cílios, à base de bimatoprosta), no Brasil, pode ser comprado sem prescrição médica, mas a consulta ao especialista é essencial — defende o dermatologista André Braz. — O dermatologista determinará se o paciente pode ou não fazer uso do produto e também vai definir por quanto tempo ele deverá ser aplicado. Geralmente, é recomendado o uso contínuo do produto, para que os pelos que estão nascendo cheguem ao mesmo tamanho dos demais — observa.

A mesma cautela deve ser observada com o minoxidil, produto que combate a calvície, mas que tem sido utilizado nas sobrancelhas.

— O minoxidil é um medicamento que promove a dilatação dos vasos sanguíneos e, por isso, deve ter sua prescrição controlada por um médico, para que sejam evitados efeitos adversos. Além disso, pode ocorrer o crescimento de pelos em áreas indesejadas, caso o paciente não seja bem orientado sobre forma de uso — alerta a dermatologista Patricia Ormiga.

Indicado para o tratamento do glaucoma, o bimatoprosta se popularizou nos últimos anos para acelerar o crescimento dos cílios, ao modificar o ciclo natural dos fios. Segundo Braz, o produto não só aumenta o volume dos fios, como pode também escurecê-los:

— Normalmente, o ciclo do crescimento do pelo é dividido em duas etapas: dois meses para crescer e mais dois meses para começarem a cair. Com esse produto, os pelos crescem o dobro do tamanho neste mesmo período. O produto contribui também para o aumento de espessura e da pigmentação do fio, que tende a ficar mais escuro — explica.

Já Patricia Ormiga lembra que o bimatoprosta só é realmente seguro se forem observados cuidados nas hora da aplicação.

— Usada de forma incorreta, ele pode causar hiperpigmentação das pálpebras. Os aplicadores também devem ser descartáveis, a fim de evitar infecções nos olhos. A bula sempre deve ser respeitada — ressalta.

Já a dermatologista Daniela Alvarenga desconfia da segurança do bimatoprosta. Para quem quer cílios maiores, ela prefere recomendar procedimentos estéticos ao invés de medicamentos.

— Existem alguns tratamentos disponíveis, poucos são eficazes e se falando de cílios não encontramos segurança por causa da proximidade com o olho. O bimatoprosta, que seria a mais utilizado, pode causar hipersensibilidade e até diminuição da pressão intra-ocular. Acho mais seguro investir na extensão de cílios com uma pessoa de confiança — indica a médica, que vê um leque mais amplo de opções para quem quer preencher as sobrancelhas:

— Quando falamos dessa região, temos mais possibilidades. Há loções tópicas com minoxidil, latanoprosta e procedimentos com aparelhos de micriagulhamento com radiofrequência e laser fracionado. Na minha opinião, é dessa última forma que conseguimos ver os melhores resultados. Sem esquecer que a micropigmentação fio a fio tem o seu valor — orienta.

Agência O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário