Gato com fezes moles: causas e soluções






Os desequilíbrios gastrointestinais como fezes de consistência mole são um dos problemas mais comuns no consultório veterinário. As características das fezes dos gatos, como a cor, a consistência, o odor e a presença de outros elementos como muco ou sangue, fornecem informação muito importante sobre a saúde do seu pet.

Certos casos de gato com fezes moles e gases ou de gato fazendo fezes moles com sangue podem se resolver de forma espontânea sem ser necessário tratamento médico, contudo outros casos mais graves só podem ser resolvidos se você recorrer ao aconselhamento e tratamento do veterinário. Neste artigo do PeritoAnimal vamos ajudar você a entender as possíveis causas e soluções de gato com fezes moles.

Fezes dos gatos: características


A maioria dos gatos defeca pelo menos uma vez por dia fezes de cor castanha, bem formadas, com algum odor, mas não muito fedidas, que geralmente são fáceis de recolher.

Um animal pode fazer fezes moles uma a duas vezes ao dia sem se considerar diarreia. A diarreia, definida como o aumento da frequência, do volume e/ou diminuição da consistência das fezes do animal, é uma condição frequente em cães e gatos que você não deve ignorar. Saiba mais sobre a diarreia em gatos nesse artigo.

Se as fezes do seu gato estão diferentes do normal, se você tem gato com fezes moles e fedidas ou gases e esse problema persiste há mais de um dia ou dois, você deve levar o seu pet ao veterinário para que ele possa avaliar a situação, antes que piore.

Gato com fezes moles: causas


Procurar um profissional é muito importante na hora do diagnóstico. Existem muitas causas que podem levar à diminuição da consistência das fezes e originar fezes moles:
Bolas de pelo

Os gatos podem dedicar um terço do seu tempo diário a se lamber e lavar e é muito normal que durante esse processo eles ingiram os pelos. Quando os pelos são ingeridos em quantidades excessivas podem se acumular no estômago do gato formando bolas de pelo (tricobezoares) que não são digeridas nem eliminadas pelo trato gastrointestinal, podendo causar tosse, vômitos, fezes moles ou diarreia.
Alimentação de gatos

Alterar o tipo de alimento, a marca ou apenas o sabor da ração habitual e sem realizar a transição adequada pode provocar um distúrbio gastrointestinal. As alterações na dieta são uma das situações mais comuns que causam distúrbios gastrointestinais, entre os quais estão incluídos flatulência, vômitos, diarreia ou fezes mais moles e problemas de pele e pelo.

Se você deseja adicionar algum ingrediente ou introduzir uma nova ração diferente da usual, você deve fazer uma transição gradual entre a ração nova e a antiga. Por exemplo, durante uma semana você pode colocar mais percentagem da ração antiga do que da nova (75% da antiga e 25% da nova) durante os dois primeiros dias, seguido de iguais quantidades de cada ração (50-50%) durante mais dois dias e, no final, um pouco da antiga e mais quantidade da nova por mais dois dias até que forneça apenas a ração nova, dando tempo ao organismo do animal para se acostumar à nova dieta.
Alergia ou intolerância alimentar

Existem casos que, mesmo com a correta transição entre a dieta antiga e a nova, a introdução de um novo ingrediente pode levar aos problemas gastrointestinais já referidos.

Certos alimentos podem gerar graves reações alérgicas ou intolerâncias alimentares e é muito importante definir qual o alérgeno que o seu gato tem reação. Um exemplo muito comum de intolerância alimentar são os produtos lácteos e seus derivados que provocam fezes moles, diarreia, flatulência, vômitos e náuseas.
Toxicidade causada por ervas, plantas, produtos químicos ou fármacos

Produtos químicos, fármacos ou certas plantas tóxicas quando ingeridos podem causar graves reações no corpo do animal a nível local e a nível sistêmico.

Certos alimentos como cebola ou chocolate são tóxicos para os gatos e, por isso, é muito importante que saiba quais os alimentos proibidos para gatos para evitar que algo trágico possa acontecer.

É importante salientar que se seu gato estiver doente, você nunca deve auto-medicar o animal. A sobredosagem ou administração de fármacos próprias apenas para seres humanos podem causar a morte do seu pet.
Desmame

Outro exemplo que pode justificar um filhote de gato com fezes moles é o tipo de alimento que o animal regularmente consome. No caso dos filhotes de gato, o período durante a lactação e após o desmame, em que grande parte da dieta é liquida ou úmida, pode provocar fezes mais moles do que o normal, devido ao tipo de dieta que o animal está tomando. Esta condição é normal e você apenas se deve preocupar quando o filhote iniciar ração seca e permanecer com as fezes moles após um mês da transição.
Temperaturas elevadas

O calor excessivo pode fazer com que o animal tenha fezes moles. Nos dias de maior calor, tente manter o seu pet num local com temperatura amena e abrigado da luz solar para evitar eventuais desidratações e outros problemas.
Gato estressado

O estresse é um dos fatores que muitas vezes é subvalorizado e que pode mexer com vários sistemas, alterando por completo a rotina do gato. Esteja atento aos sinais de dor, postura corporal e ao comportamento. A alteração da dieta, mudança para uma nova casa ou um elemento novo na família (seja criança ou um novo animal) podem originar diarreia ou fezes moles no gato. Confira os 5 sintomas de estresse em gatos aqui.
Corpo estranho

Certos objetos (como fios), brinquedos pequenos ou ossos são tão apreciados pelo seu gato que ele vai tentar morder ou ingeri-los Esses objetos podem obstruir e/ou perfurar o estômago ou o intestino do seu animal e originar um problema bem grave que só pode ser resolvido com recurso à endoscopia ou cirurgia.
Para evitar este tipo de problemas é necessário evitar dar ao animal ossos de galinha (que são muito pontiagudos), brinquedos que se possam engolir ou quebrar facilmente ou objetos pequenos que estejam pela casa.
Vermes intestinais

Estes parasitas podem causar fezes moles ou diarreia, e, em casos de infestação grave, você pode ter um gato fazendo fezes moles com sangue, gato com fezes moles amareladas ou gato com vermes vivos nas fezes. É por isso que a desparasitação com vermifugo para gatos é tão importante.
Doenças virais ou bacterianas

Certas doenças podem originar inflamação e/ou infeção do estômago ou intestino e provocar o aparecimento de fezes moles. É possível evitar algumas doenças se você cumprir o protocolo vacinal do seu gato.
Défices nutricionais da vitamina B12

A falta de vitamina B12, essencial para a saúde e correto funcionamento do corpo, pode afetar vários sistemas desde o neurológico, musculoesquelético, cardíaco e gastrointestinal.
Tumores nos intestinos ou outros órgãos

É muito importante saber que uma diarreia que dure mais de dois dias pode originar outros problemas como desidratação e cansaço e, por isso, se a diarreia do seu gato dura há mais de um ou dois dias, consulte urgentemente o veterinário para descobrir o que está causando este problema.
Hipertiroidismo

O hipotiroidismo também pode ser um das causas de gato com fezes moles.

Gato com fezes moles: diagnóstico


As fezes moles e a diarreia são o segundo sintoma mais comum na clínica de pequenos animais de companhia e podem significar uma imensidão de causas. Por esse motivo, é necessário que o médico veterinário reúna o máximo de informação possível para poder descartar ou incluir certos diagnósticos.

Em primeiro lugar, o histórico médico deve incluir:
Estado atual das desparasitações internas e externas;
Protocolo vacinal;
Doenças anteriores;
Contato com outros animais;
Tipo de alimentação, frequência e alimentos extra que tenha acesso ou lhe ofereçam;
A gravidade, a evolução e as características das fezes: quando surgiram pela primeira vez, duração e com que frequência acontece, aspeto das fezes (cor, odor e consistência, presença de sangue e muco), se o animal apresenta dificuldade a defecar;
Alterações de apetite e de comportamento.

Seguidamente, um exame físico completo e exames complementares necessários:
Análises sanguíneas e bioquímicas;
Recolha e análise de urina e fezes;
Radiografia e ecografia.

No final, o médico veterinário diagnostica e seleciona qual o tratamento mais adequado para o seu animal.

Gato com fezes moles: o que fazer e como prevenir


O tratamento de gato com fezes moles vai depender do que as está originando. Obviamente algumas causas têm que ser resolvidas com terapia médica específica, mas existem certas medidas que você pode e deve tomar:
Retirar por umas horas toda a comida do animal (mas nunca a água) e introduzir uma dieta adequada ao problema do gato, normalmente uma dieta altamente digerível. Atenção:nunca prive o gato de comida por mais de 24 horas, pois ele pode desenvolver outros tipos de problemas mais graves.
Manter o gato hidratado. Além da fluido terapia que o veterinário pode aplicar, você deve dar sempre água fresca e limpa.
Normalmente, se se tratar de um caso que evolua para diarreia, o médico veterinário recomenda um remédio caseiro para gato com diarreia que se baseia numa dieta suave e de fácil digestão à base de água de arroz ou de arroz e frango cozido desfiado que vão acalmar o aparelho digestivo do seu pet. Só depois de tratada a diarreia ou fezes moles é que você deve voltar à ração normal, nunca esquecendo de fazer uma transição progressiva entre o arroz e o frango e a ração.
Manter uma boa higiene do seu gato e do seu ambiente. Em casos de vermes intestinais, eles podem estar presentes nas fezes e permanecerem no ambiente do animal. Por isso, é importante limpar o ambiente e toda a casa depois de aplicar vermífugo, para evitar a reinfestação.
Evite dar produtos lácteos, principalmente de leite de vaca. Muitos gatos são intolerantes à lactose tal como os humanos.
Retire todos os brinquedos, peças de roupa ou objetos pequenos que o animal possa ingerir.
Tenha atenção a alterações da dieta. Quando iniciar a dieta específica, você deve garantir que fornece pequenas refeições diárias várias vezes ao dia e futuramente sem alterações bruscas na dieta ou alimentos extra.
Você deve evitar compartilhar a sua comida com o seu pet, por mais que seja complicado e ele esteja pedindo muito.
Não deixe o seu gato ter acesso ao lixo, fármacos e alimentos impróprios.
Cumprir o calendário de vacinação.



Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.



Por Carolina Costa, Médica Veterinária

 20 março 2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário